Prevenindo a celulite




A celulite, mais conhecia como «pele casca de laranja», não é uma patologia se considerarmos que não existe mortalidade a ela associada. É, no entanto, alvo de grande preocupação em termos estéticos e provoca em muitas mulheres problemas de auto-estima, mal-estar e até vergonha, que podem evoluir para estados depressivos. Apesar de não haver uma cura definitiva para este problema, que tantas dores de cabeça dá à grande maioria das mulheres, o melhor remédio, se assim se pode chamar, ainda é a prevenção. E, em casos extremos, consultar o médico.

A celulite pode aparecer em qualquer zona do corpo que tenha tecido adiposo. Porém, há locais mais susceptíveis como a parte externa das coxas e as nádegas. Pode ainda aparecer nos seios, na parte inferior do abdómen, na parte superior do braço e na zona da nuca. Esta distribuição da celulite coincide com o padrão de deposição do tecido adiposo nas mulheres. Nos homens, obviamente, o padrão é diferente. Não é um factor necessariamente ligado à obesidade e, de facto, muitas pessoas magras têm celulite. No entanto, uma alimentação inadequada e desequilibrada pode funcionar como catalisador do seu aparecimento.

Esta alteração do tecido adiposo afecta 85 a 98 por cento das mulheres após a puberdade. Atinge todas as raças, mas é mais comum nas caucasianas do que nas asiáticas. É raro observar-se nos homens, mas verifica-se uma grande incidência, e curiosamente de forma mais severa, em homens com deficiências em androgénios (hormonas sexuais masculinas), como os que são portadores da síndroma de Klinefelter, hipogonadismo, situações de castração, e em pacientes que fazem terapia com estrogénio, para o cancro da próstata. Desta forma, existe aparentemente uma componente genética e hormonal na origem da celulite.

Por isso, em casos de difícil solução é bom falar com o médico de família que pode analisar a celulite e encaminhar para algum médico de especialidade. Casos há que o dermatologista pode resolver, mas há situação em que é necessária a intervenção de um cardiologista ou nutricionista. As causas da celulite podem ser tantas que o conselho médico é sempre precioso.

De acordo com os trabalhos desenvolvidos neste campo, existem quatro hipóteses para explicar a fisiologia da celulite. São elas o dimorfismo sexual na arquitectura da pele, homens e mulheres apresentam, entre outras, diferenças na forma como os tecidos se organizam e diferenças na distribuição dos tecidos no corpo; a ocorrência de alterações no tecido conjuntivo que levam ao aparecimento da celulite; mudanças vasculares e factores inflamatórios.

Apesar de ser um assunto de máxima relevância, já que afecta a maior parte das mulheres, não houve, nos últimos 30 anos, grande desenvolvimento de trabalhos médico-científicos. Ainda que não seja considerada uma verdadeira patologia, já que não representa perigo de vida, este problema tem sido seguido, recentemente, de uma forma mais atenta. Cientistas e médicos trabalham, agora, em conjunto para desenvolver soluções e métodos para atenuar factores e efeitos de uma situação para a qual não existe ainda um tratamento efectivo.

As modalidades de tratamento compreendem a atenuação dos factores agravantes (factores inflamatórios ou hormonais) métodos físicos ou mecânicos (drenagem linfática, uso de aparelhos com corrente eléctrica, endermologia) agentes farmacológicos (mesoterapia, aplicação externa de cremes anti-celulíticos) e tratamento à base de laser.

Considera-se, no entanto, que uma alimentação equilibrada e um estilo de vida, fisicamente, mais activo são as melhores maneiras de controlar o aparecimento da celulite.

Comente:

Nenhum comentário

Comente Sempre!