Blefaroplastia




Blefaroplastia

Homens e mulheres têm procurado cada vez mais a blefaroplastia, cirurgia que corrige os excessos de pele da pálpebra superior e da pálpebra inferior, retirando também as bolsas de gordura, que podem aparecer precocemente, por pré-disposição genética ou pelo passar dos anos, com a perda natural de elasticidade da pele. "A blefaroplastia ainda é uma cirurgia mais procurada pelas mulheres, mas, ultimamente, registra-se um crescimento por este tipo de procedimento por parte da ala masculina. Além das 'gordurinhas' que reforçam o aspecto envelhecido e cansado da face, popularmente conhecidas como 'bolsas de gordura', o tecido das pálpebras, inferiores e superiores, também fica flácido e cai", explica o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro Integrado de Medicina.

Como é realizada

O maior objetivo da blefaroplastia é eliminar o excesso de pele e gordura ao redor dos olhos, fruto, em alguns casos, de doenças oculares. O excesso de gordura nos olhos já começa a aparecer a partir dos 30 anos. O grau de intensidade do excesso de gordura ou de pele vai depender, sobretudo, da qualidade do tecido de cada pessoa e de fatores genéticos e características familiares. Há casos mais graves em que a pele da pálpebra superior chega a cair por cima dos cílios, ficando quase à frente da pupila, prejudicando a visão, situação em que o paciente é submetido a uma cirurgia funcional e não de caráter meramente estético.

A blefaroplastia, segundo Penteado, é uma cirurgia simples, mas delicada. Dura, em média, 90 minutos. Pela extensão da cirurgia e boa qualidade dos anestésicos, a maioria dos casos é operada sob anestesia local. Raramente é feita sob anestesia geral. "Para realizá-la adequadamente, o cirurgião mede a quantidade de pele ou gordura a ser retirada e depois realiza a incisão. Deve-se tomar muito cuidado, pois a retirada excessiva de pele ou gordura pode dar um aspecto sem mobilidade ao olho, transformando o olhar do paciente e prejudicando a ação de piscar, gerando o ressecamento ocular", alerta o médico.

A cirurgia, lembra Penteado, não tem o objetivo de eliminar rugas e 'pés-de-galinha'. A cirurgia das pálpebras pode até amenizar as rugas na região dos olhos, mas não é este o seu propósito maior.

O pós-operatório

Ao término da intervenção cirúrgica, a recuperação também é simples. Não há oclusão dos olhos e, geralmente, não existem dores no pós-operatório. "A recomendação é que o paciente afaste-se por apenas uma semana de suas atividades profissionais e sociais. Compressas com água gelada também ajudam a diminuir o inchaço e a roxidão do local, que podem permanecer de 7 a 30 dias após a cirurgia", alerta o cirurgião. As cicatrizes da blefaroplastia tendem a ficar praticamente disfarçadas nos sulcos da pele. Para tanto, deve ser aguardado o período de maturação da cicatriz (3 meses). Pela sua localização, as cicatrizes são passíveis de serem disfarçadas com uma maquiagem leve, desde os primeiros dias.

O inchaço das pálpebras varia de paciente para paciente. Existem aqueles que já no 4º ou 5º dia apresentam-se com um aspecto bastante natural. Outros irão atingir este resultado após o 8º dia ou mais. Mesmo assim, os 3 primeiros dias do pós-operatório são aqueles em que existe maior "inchaço" das pálpebras. O uso de óculos escuros poderá ser útil nesta fase, assim como a utilização de compressas frias, que diminuem a intensidade do edema.

"O resultado pleno da cirurgia é obtido entre três e seis meses após a cirurgia, quando há a acomodação dos tecidos e a cicatrização completa. A exposição solar poderá ser liberada após 1 ou 2 meses, observando alguns cuidados, como o uso de óculos escuros e de protetores solares", afirma Ruben Penteado.



Comente:

Nenhum comentário

Comente Sempre!