Peeling e seus tipos




Com o passar dos anos, você começa a perceber aquelas ruguinhas desagradáveis surgindo no rosto, acompanhadas de manchas e marcas de expressão, que se realçam cada vez mais… E de onde vieram essas rugas e manchas? Pois é, minha amiga, o tempo realmente não perdoa. Com o avançar do tempo, aquela pele lisinha e viçosa que você tinha vai, pouco a pouco, perdendo a jovialidade. O envelhecimento é absolutamente normal e inevitável, mas é claro que nenhuma mulher fica feliz de se conformar com isso, não é? Felizmente, graças aos avanços da medicina estetica, que hoje conta com poderosos tipos de peeling , este processo pode se tornar mais lento ou mesmo ser revertido alguns anos. E o melhor: sem precisar de cirurgia plastica!

Uma das armas mais eficientes da dermatologia estetica para o combate do envelhecimento facial é o peeling . O peeling é um tratamento estético feito por dermatologistas por meio de ácidos e outros cremes manipulados. Durante o processo de peeling ocorre uma destruição da camada superficial, média ou profunda da pele , que sofre uma escamação de suas camadas, eliminando células mortas e dando lugar a uma pele nova , livre de rugas, manchas, acne e outras imperfeições.

Os peelings podem ser classificados como : muito superficiais , superficiais , médios e profundos ; dependendo da região que atinge na pele .

Nível do Peeling Indicação


Peeling Nível 1 – Muito Superficial manchas muito superficiais, aspereza, pele sem brilho, pele descamativa , pele “seca”, peles “cansadas” e “maltratadas”


Peeling Nível 2 – Superficial manchas superficiais, aspereza, rugas finas, acne ativa,


Peeling Nível 3 – Médio Rugas, manchas, cicatrizes de acne , sulcos e marcas de expressão,


Peeling Nível 4 – Profundo Envelhecimento total da pele, cicatrizes de Acne muito profundas

Assim , dependendo do local da pele atingido, teremos a profundidade do Peeling , que ira determinar o seu uso para o tipo de problema apresentado pelo paciente. A profundidade do peeling depende do tipo de ácido ou técnica de peeling utilizada. Quanto mais agressivo for o ácido utilizado no peeling, mais profundo será o peeling, com conseqüente melhores resultados e maior risco de complicações.

Entre os agentes quimicos para peeling mais comuns temos : o Ácido Retinóico, o Ácido Salicílico, a Solução de Jessner, o Resorcinol, o Ácido Tricloroacético – TCA, Blue Peel, os Alfahidroxiácidos, Glicólico, O Fenol e outros.

O tipo de peeling a ser utilizado ( peeling superficial , medio ou profundo ) sera definido pelo dermatologista, baseado no seu tipo de pele e nos objetivos a serem alcancados pelo paciente. O peeling superficial, como o de ácido glicólico ou retinóico, gera uma descamação leve, retirando apenas as lesões mais superficiais da epiderme. Por ser menos agressivo, o peeling superficial não necessita de repouso ou recuperação, podendo o paciente voltar às atividades no mesmo dia. É o tipo de peeling mais utilizado nos consultorios dermatologicos, ja que não interfere com as atividades sociais do paciente ( devido a baixa descamação ) e proporciona excelentes resultados no rejuvenescimento facial, quando utilizado de forma seriada ( peelings semanais ou mensais ).

O peeling médio, como o de TCA (ácido tricloroacético) gera uma descamação mais intensa, que pode durar de 7 a 14 dias. São mais agressivos e efetivos que os peelings superficiais, sendo indicados para remoção de manchas e rugas de média profundidade.

O modelo de peeling profundo é o peeling de fenol. O peeling de fenol apresenta os melhores resultados no rejuvenescimento facial . Esse tipo de peeling profundo leva a destruição de toda camada mais superficial da pele ( epiderme), responsável pela maioria das machas e rugas faciais. Quando bem indicado e realizado por um dermatologista especializado na técnica do peeling de fenol, o resultados são realmente impressionantes, gerando um rejuvenescimento superior ao de qualquer cirurgia plastica.

Para realizar um peeling químico, a pele deve ser preparada com antecedência de 15 a 30 dias atraves do uso de um creme pré peeling, receitado pelo seu dermatologista. O preparo da pele permite a obtenção de melhores resultados, além de ajudar a evitar possíveis efeitos indesejáveis dos peelings, como hiperpigmentação ou queimaduras, que podem acontecer mesmo quando todos os cuidados são tomados. Devido à este processo complexo de tratamento, os peelings só devem ser realizados por dermatologistas que estejam aptos a resolver qualquer eventual complicação que possa acontecer.



Comente:

Nenhum comentário

Comente Sempre!