Tratamento usado em atletas olímpicos vira arma contra celulite




O inverno facilita a vida para as pessoas que estão acima do peso. As roupas mais largas e grossas disfarçam as gorduras localizadas e a flacidez e, por isso, nem sempre há muita preocupação com os "defeitinhos" do corpo. O mesmo não acontece no verão, quando as roupas mais leves e decotadas exigem boa forma de quem as usa.

Entretanto, quem quer se preparar para o verão não adianta deixar para última hora. Conforme alerta a fisioterapeuta Polliana Freitas, os tratamentos que visam a melhorar a celulite, estrias, gorduras localizadas e flacidez requerem, no mínimo, oito semanas, ou seja, o inverno é o melhor período para o pontapé em busca da modelagem do corpo.

Um dos tratamentos bastante procurados é a corrente russa. O método foi desenvolvido na Rússia, na década de 70, tendo como objetivo o preparo dos atletas olímpicos. De acordo com a fisioterapeuta, o tratamento atua sobre a musculatura profunda e superficial, diminuindo a flacidez e ajudando no combate à celulite. "Além disso, tonifica a pele, melhora a circulação sangüínea e o trabalho dos intestinos", ressalta.

O tratamento, também conhecido como Estimulação Russa, utiliza um equipamento tecnológico com eletrodos, que, quando acoplados na pele faz com que uma corrente elétrica, de baixa freqüência e pequena intensidade, seja aplicada de forma terapêutica. "Não é uma ginástica passiva. O paciente participa ativamente do tratamento", esclarece.

Segundo Polliana, a corrente russa é eficaz para homens e mulheres, pois age de acordo com a fisiologia muscular e metabolismo do paciente.
"A corrente elétrica trabalha as fibras vermelhas, que são as de tonicidade, e brancas, que são de velocidade, proporcionando resultados rápidos e altamente satisfatórios", afirma.

A fisioterapia explica que a estimulação russa pode ser utilizada para flacidez dos glúteos, abdome, coxas e braços. "Inicia-se o tratamento com 20 sessões, realizadas duas ou três vezes por semana e com duração de 30 a 50 minutos, podendo-se trabalhar vários grupos musculares ao mesmo tempo ou alternadamente", detalha.

O resultado do tratamento, segundo a especialista, varia de paciente para paciente, sendo que pode aparecer mais rapidamente se ele não for sedentário e já praticar alguma atividade física.

Totalmente indolor, a corrente russa é contra-indicada para gestantes, para pessoas com doenças cardíacas, como arritmias severas e insuficiência cardíaca, ou com patologias circulatórias, como flebites e embolias. Além disso, o tratamento não pode ser aplicado em regiões do corpo que possuam prótese metálica.



 




Comente:

Nenhum comentário

Comente Sempre!