Eletroterapia na Estética







Na fisioterapia estética os tratamentos realizados podem ser tanto faciais como corporais, pois depende do objetivo do paciente, ou problema que está apresentando na pele. Hoje, pode-se dizer que são diversas as técnicas estéticas que são desenvolvidas dentro do âmbito da Fisioterapia, porém para que o fisioterapeuta consiga desenvolver essas técnicas aprimoradas, ele precisa ter preparação na área estética, com o objetivo de evitar que o tratamento dermatológico e estético se transforme em um problema ou dano irreparável à saúde do paciente.

No cenário atual da estética, temos uma demanda exacerbada de ofertas, principalmente quando falamos de recursos de Eletroterapia. A cada ano, diversos aparelhos novos são lançados, na sua maioria, com custo elevado, o que acaba dificultando a aquisição por parte dos profissionais.

A eletroterapia trabalha com o uso de correntes elétricas dentro da terapêutica. Os aparelhos de eletroterapia utilizam uma intensidade de corrente mais baixa, são miliamperes e microamperes, que são aplicados sobre a área que deve ser tratada. Os eletrodos são aplicados diretamente sobre a pele da paciente e o organismo será o condutor. Na eletroterapia deve-se considerar parâmetros como: resistência, intensidade, voltagem, potência e condutividade.

Os equipamentos atuais possuem diferentes tipos de correntes, onde o aparelho emite a energia eletromagnética que é então conduzida através de cabos condutores até os eletrodos que ficam aderidos à pele do paciente. Alguns exemplos:

Ultrassom

O ultrassom estético é uma das modalidades terapêuticas mais realizadas, para tratamentos de algumas condições não estéticas. O ultrassom é um recurso terapêutico que utiliza ondas ultrassônicas que em contato com o tecido promove efeitos biofísicos.

Pode ser usado associado ou não a cosméticos específicos. Sem a utilização de cosmético é indicado para o tratamento de fibro edema gelóide (celulite), pois proporciona um aquecimento e uma micromassagem no tecido, com isso ajuda a reduzir os nódulos. Com associação de cosmético específico, o tratamento é chamado de fonoforese e funciona como uma mesoterapia sem agulhas, pois ajuda a penetração do produto no tecido e pode ser indicado para gordura localizada ou celulite. É importante lembrar que nem todos os cosméticos podem ser usados com o ultrassom, são alguns produtos específicos que devem ser ministrados em cada situação.

Eletrolipólise

A Eletrolipólise é uma técnica que utiliza corrente elétrica despolarizada de baixa ou média frequência (entre 1 e 4.000Hz), com a finalidade de redução da gordura localizada. É um tratamento que usa corrente elétrica bidirecional de baixa frequência para reduzir a gordura localizada. A eletricidade é usada para estimular a lipólise, processo de quebra de gordura, provocando mudanças fisiológicas nas células adiposas e aumentando seu metabolismo, acelerando o gasto calórico. Ela também incrementa o fluxo sanguíneo, melhorando a circulação no local tratado.

Endermologia

O aparelho realiza a sucção da pele através de rolamentos, promovendo o deslocamento dos tecidos, estimulando a circulação local, aumento da oxigenação do tecido, favorecendo à diminuição da fibrose ocasionadas em cirurgias plásticas e na celulite, auxiliando também na redução de medidas.


Existe uma diversidade de correntes que podem ser utilizadas na eletroterapia, cada uma com a sua particularidade própria, quanto às indicações e contraindicações. Porém, todas elas têm um objetivo comum: produzir algum efeito no tecido a ser tratado, que é obtido através das reações físicas, biológicas e fisiológicas que o tecido desenvolve ao ser submetido à terapia.


Comente:

Nenhum comentário

Comente Sempre!