Drenagem Linfática na Gestação




 http://cdn.doutissima.com.br/wp-content/uploads/2014/12/drenagem-linftica-na-gravidez1.jpg

      A combinação entre drenagem linfática e gestação não poderia ser mais perfeita: ajuda a relaxar, alivia inchaços típicos da gravidez, reduz o acúmulo de retenção liquida, estimula a lactação e prepara as mamas para a amamentação, previne e combate varizes, celulite e estrias.

      Mas todo cuidado é pouco. Para alcançar os efeitos desejados é fundamental que o procedimento seja executado somente por fisioterapeuta especializado. "Se a drenagem linfática for realizada de maneira inadequada, poderá comprometer a circulação, causar hematomas, dores intensas, eritema (vermelhidão), deslocamentos de trombos, microvarizes, além de piorar o fibro edema gelóide, ou seja, a celulite".

     Na gestação, as consequências de um procedimento mal executado são ainda mais graves para a futura mamãe e o bebê: "Quando realizada por um profissional não habilitado, a drenagem linfática manual pode estimular contrações uterinas e causar a precipitação do parto a partir do sexto mês de gestação".

Quais são os benefícios da drenagem linfática para a gestante?
  • Melhora a nutrição das células e a oxigenação dos tecidos;
  • estimula a circulação venosa e linfática; reduz a retenção de líquido;
  • diminui os inchaços típicos da gravidez;
  • estimula a lactação e a dessensibilização das mamas, preparando-as para a amamentação;
  • previne e combate varizes e sensação de pernas cansadas;
  • Combate celulite e estrias; alivia tensões e reduz dores musculares.

É fundamental que a gestante passe por uma avaliação médica antes de iniciar o tratamento, até para que seja feita a indicação correta da drenagem linfática. As sessões podem ser iniciadas a partir do terceiro mês, cerca de duas vezes por semana. Em casos de edemas exacerbados, a gestante poderá fazer até três sessões semanais, desde que tenha autorização do médico responsável.
 
Grávidas com hipertensão não controlada, insuficiência renal, trombose venosa profunda, infecções de pele e erupções cutâneas não são aconselhadas a realizar este procedimento.
 
No período pós-parto, a drenagem linfática trabalha como um auxiliar para o retorno da forma anterior, atuando na diminuição da retenção de líquidos, prevenção de celulite e na estimulação do metabolismo. É importante entender que a drenagem não deve ser utilizada como elemento único para processos de emagrecimento, sendo necessário também o acompanhamento de uma nutricionista especializada.


Comente:

Nenhum comentário

Comente Sempre!